Home » Cotidiano » Uber assume que pagou rackers que roubaram informações da empresa e de clientes

Uber assume que pagou rackers que roubaram informações da empresa e de clientes

Executivos da Uber reconheceram nesta terça-feira (21/11) que pagaram US$ 100.000 para ocultar um ataque cibernético realizado em outubro de 2016 por dois hackers. Nesta invasão, foram expostos os dados de 57 milhões de motoristas e usuários de Uber, que armazenaram em um sistema de infra-estrutura de terceiros.

A empresa informou que neste ataque cibernético, os nomes e números de CNHs de cerca de 600.000 motoristas foram acessados. Além disso, 57 milhões de usuários também tiveram suas informações roubadas, incluindo nomes, e-mails e números de celular.

De acordo com um relatório, o CEO da Uber, Travis Kalanick, soube do incidente em novembro de 2016, quando a empresa estava finalizando um acordo com a Comissão Federal de Comércio por violações da privacidade.

A empresa, entretanto, optou por pagar aos hackers US$ 100.000 para excluir a informação e ficarem quietos sobre o incidente. Como resultado, o novo CEO da Uber Dara Khosrowshari, teria solicitado a renúncia do diretor de segurança da Uber, Joe Sullivan, e um advogado que o denunciou.

Silvio Porto

Silvio Porto é um jornalista que estreou na extinta Revista Afinal como repórter fotográfico, passou pelas Revistas Placar e Quatro Rodas onde conquistou prêmios importantes. Viajou pelo mundo cobrindo futebol, os principais salões do automóvel (Paris, Frankfurt, Detroit e São Paulo), além de Fórmula 1 e os lançamentos de carros e motos. Fez parte do quadro de jurados do Prêmio “Carro do Ano”, da Revista Auto Esporte e há oito anos é um dos jurados do Prêmio Imprensa Automotiva realizado pela Abiauto – Associação Brasileira da Imprensa Automotiva. Hoje é diretor e editor do Portal MotorCar (www.motorcar.com.br) e do Blog do Silvio Porto (www.silvioporto.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

UA-58373095-2