Home » Automobilismo » Fórmula 1: A terceira vitória de Hamilton em Mônaco veio a lá Senna.

Fórmula 1: A terceira vitória de Hamilton em Mônaco veio a lá Senna.

Neste domingo (26/05), Lewis Hamilton venceu de ponta a ponta o Grande Prêmio de F1 disputado em Mônaco. O inglês correu com o capacete estilizado com a pintura utilizada pelo lendário Niki Lauda, em homenagem ao austríaco que faleceu esta semana.

O alemão Sebastian Vettel chegou em segundo e o finlandês Valtteri Bottas em terceiro, quebrando a sequência de cinco corridas com dobradinha da Mercedes. Com a vitória, Hamilton somou 77 vitórias na carreira, ficando a 14 do recordista, o alemão Michael Schumacher com 91.

Na corrida, Lewis Hamilton segurou a ponta na largada, manteve boa distância para o segundo colocado e companheiro Valtteri Bottas, e venceu a terceira corrida no principado.

Na volta 13, o piloto da casa Charles Leclerc já ocupava a décima segunda posição, depois de largar na 16, por um erro de estratégia dos engenheiros da Ferrari na classificação de sábado. Depois do sinal vermelho ter se apagado, dando início à corrida, Leclerc vinha com a “faca nos dentes”, ganhando várias posições.

O “menino” da Ferrari de nº 16, na curva da La Rascasse, entrada dos boxes, mostrou que poderia ser o piloto da corrida fazendo uma ultrapassagem incrível, onde poucos conseguem, sobre a Haas do piloto franco-suíço Romain Grosjean.

Na volta seguinte, como Leclerc pilotava com muita vontade sem pensar nas consequências, na mesma La Rascasse, tentou a mesma manobra sobre o piloto da Renault, o alemão Nico Hulkemberg, mas acabou tocando e batendo sua Ferrari na Renault, provocando o estouro  do pneu traseiro direito. Com isso provocou a entrada do safety car pelos detritos deixado pelo pneu.

E com essa manobra terminou a saga do monegasco para tentar fazer história com a Ferrari em sua segunda corrida em casa. Com o safety car na pista vários pilotos entraram no pit para fazer a primeira troca de pneus. E essa situação foi o pivô para a fantástica corrida do inglês Lewis Hamilton, que imitou o ídolo Ayrton Senna. Ele segurou os ataques da RBR do segundo colocado, o holandês Max Verstappen por mais de 40 voltas.

Ocorre que entre os  quatro primeiros do pelotão, o líder da prova, Hamilton, colocou os pneus médios. Já Verstappen, Vettel e Bottas optaram pelos duros, mais duradouros e teoricamente mais lentos. Curiosamente os duros eram mais rápidos, o que favoreceu os ataques do holandês.

Nessas 40 voltas, Hamilton reclamou muito pelo rádio do pneu dianteiro esquerdo. “Está muito difícil pilotar assim, não vou aguentar!”, dizia. Pelo mesmo rádio os engenheiros respondiam: “Você consegue. É a única chance de vencermos, você  consegue!”. Voltas depois, Lewis colocava pavor na equipe reclamando do pneu.

Max Verstappen, que sabia das dificuldades do inglês, tentava forçar Hamilton a um erro, mantendo uma distância do líder que oscilava de 09 milésimos de segundo a meio segundo, situação que permitia ao Verstappen usar o DRS (Asa Aberta). Mesmo assim o pentacampeão se mantinha na liderança.

Esses ataques do Max foi até a penúltima volta quando conseguiu tirar a RBR da traseira da Mercedes do líder para tentar a ultrapassagem. Acabou tocando sua roda dianteira direita na traseira esquerda da Mercedes, empurrando Hamilton para fora da pista. Mesmo assim Lewis conseguiu se manter à frente para terminar a corrida em primeiro de ponta a ponta.

Disputa que lembrou  muito a vitória do nosso Senna na corrida de 1992, quando segurou os ferozes ataques do inglês Nigel Mansel que tinha uma Williams muito mais rápida que a sua McLaren. Senna, com a vitória, tornou aquela corrida uma prova lendária, até este domingo quando o discípulo e fã Hamilton fez o mesmo. Pelo rádio, o engenheiro em agradecimento disse: “Parabéns, só você conseguiria essa vitória”.  

Depois da corrida Hamilton, cansado, declarou: “Achei que não fosse conseguir!” Na RBR o clima era de insatisfação, já que Verstappen, o segundo na corrida, terminou em quinto por ter sido punido com cinco segundos de acréssimo em seu tempo na prova. Ele tentou ultrapassar Bottas e bateu no adversário na saída dos boxes, provocando inclusive uma nova entrada no pit do finlandês para trocar o pneu que furou pelo toque.

A próxima corrida acontece no Canadá no dia 09 de junho. Confira abaixo a classificação completa da prova e do campeonato.

CLASSIFICAÇÃO DA CORRIDA

PILOTO EQUIPE
   
1.Lewis Hamilton Mercedes
2.Sebastian Vettel Ferrari
3.Valtteri Bottas Mercedes
4.Max Verstappen RBR
5.Pierre Gasly RBR
6.Carlos Sainz McLaren
7.Daniil Kvyat Toro Rosso
8.Alexander Albon Toro Rosso
9.Daniel Ricciardo Renault
10.Romain Grosjean Haas
11.Lando Norris McLaren
12.Kevin Magnussen Haas
13.Sergio Perez Racing Point
14.Nico Hulkenberg Renault
15. George Russell Williams
16. Lance Stroll Racing Point
17. Kimi Raikkonen Alfa Romeo
18. Robert Kubica Williams
19. Antonio Giovinazzi Alfa Romeo
20.Charles Leclerc Ferrari

CLASSIFICAÇÃO DE PILOTOS NO CAMPEONATO

PILOTO EQUIPE PONTOS
     
1.Lewis Hamilton Mercedes 137
2.Valtteri Bottas Mercedes 120
3.Sebastian Vettel Ferrari  82
4.Max Verstappen RBR  78
5.Charles Leclerc Ferrari  57
6.Pierre Gasly RBR  32
7.Carlos Sainz McLaren  18
8.Kevin Magnussen Haas  14
9.Sergio Perez Racing Point  13
10.Kimi Raikkonen Alfa Romeo  13
11.Lando Norris McLaren  12
12.Daniil Kvyat Toro Rosso   9
13.Daniel Ricciardo Renault   8
14.Alexander Albon Toro Rosso   7
15.Nico Hulkenberg Renault   6
16.Lance Stroll Racing Point   4
17.Romain Grosjean Haas   2
18.Antonio Giovinazzi Alfa Romeo   0
19.George Russell Williams   0
20.Robert Kubica Williams   0

CLASSIFICAÇÃO DE CONSTRUTORES NO CAMPEONATO

EQUIPE PONTOS
   
Mercedes 257
Ferrari 139
RBR 110
McLaren  30
Racing Point  17
Haas  16
Toro Rosso  16
Renault  14
Alfa Romeo  13
Williams   0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Silvio Porto

Silvio Porto é um jornalista que estreou na extinta Revista Afinal como repórter fotográfico, passou pelas Revistas Placar e Quatro Rodas onde conquistou prêmios importantes. Viajou pelo mundo cobrindo futebol, os principais salões do automóvel (Paris, Frankfurt, Detroit e São Paulo), além de Fórmula 1 e os lançamentos de carros e motos. Fez parte do quadro de jurados do Prêmio “Carro do Ano”, da Revista Auto Esporte e há oito anos é um dos jurados do Prêmio Imprensa Automotiva realizado pela Abiauto – Associação Brasileira da Imprensa Automotiva. Hoje é diretor e editor do Portal MotorCar (www.motorcar.com.br) e do Blog do Silvio Porto (www.silvioporto.com.br).