Home » Automobilismo » Pra que servem os mais de 20 botões num volante de um Fórmula 1?

Pra que servem os mais de 20 botões num volante de um Fórmula 1?

Vários volantes de carros comuns contam com alguns botões difíceis de serem operados em movimento – velocidade de cruzeiro, volume do rádio, além das aletas atrás do volante para troca das marchas. Agora, imagina um volante de Fórmula 1 com mais de 20 botões e o piloto a mais de 300 km/h. Na foto, volante dos carros da Mercedes – Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. Para que servem?

Nos botões, os pilotos podem limitar a velocidade do carro nos boxes (botão PL), falar via rádio (Talk), alterar o equilíbrio da frenagem (BB), ou até ajustar o comportamento do diferencial à entrada, durante e na saída das curvas (Entry, Mid e Hispd).

Há botões variados para o motor (Strat), sejam para defender uma posição, poupar o motor, ou até para “arregaçar” todos os cavalos existentes nesse propulsor. Tem também o controle da unidade de potência (HPP) – motor de combustão e mais duas unidades motor-gerador elétricas –, alteradas de acordo com o comando do engenheiros nos boxes.

Para que o piloto não coloque acidentalmente o carro em ponto morto, o botão N está localizado isoladamente. E se for mantido pressionado, engata a marcha-ré. Embora os botões sejam acionados dependendo da força exercida, para que não acione sem querer, não esqueça que o carro está veloz, há curvas o tempo todo e o piloto está de luva. Olhe para o volante da Mercedes e veja se é ou não uma loucura.

Assista ao vídeo da Mercedes-AMG com Bottas e Evan Short (chefe da equipe) tentando explicar a complexidade de um volante de Fórmula 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Silvio Porto

Silvio Porto é um jornalista que estreou na extinta Revista Afinal como repórter fotográfico, passou pelas Revistas Placar e Quatro Rodas onde conquistou prêmios importantes. Viajou pelo mundo cobrindo futebol, os principais salões do automóvel (Paris, Frankfurt, Detroit e São Paulo), além de Fórmula 1 e os lançamentos de carros e motos. Fez parte do quadro de jurados do Prêmio “Carro do Ano”, da Revista Auto Esporte e há oito anos é um dos jurados do Prêmio Imprensa Automotiva realizado pela Abiauto – Associação Brasileira da Imprensa Automotiva. Hoje é diretor e editor do Portal MotorCar (www.motorcar.com.br) e do Blog do Silvio Porto (www.silvioporto.com.br).