Home » Automóveis » Avaliação: Citroën C4 Cactus. Não importa se é hatch ou SUV, o modelo agrada.

Avaliação: Citroën C4 Cactus. Não importa se é hatch ou SUV, o modelo agrada.

O Citroën C4 Cactus, hatch para uns e SUV compacto para outros, vem tentando ganhar a preferência do consumidor desde seu lançamento em setembro de 2018. E tem conseguido. Em janeiro deste ano ocupava a 41ª posição no ranking dos modelos mais vendidos, com 1016 unidades comercializadas. Em fevereiro passou para o 25º lugar com 1461 modelos vendidos. Mas ainda está bem atrás de seus maiores concorrentes: Ford EcoSport e Honda HR-V. 

Os jornalista do Portal MotorCar avaliaram o C4 Cactus Shine por uma semana e conquistou os corações. O modelo tem design bonito, oferece bastante conforto para os ocupantes, tem boa posição de dirigir e seu motor THP 16V Flex de 173 cv é bem esperto. E além disso, o câmbio automático sequencial de seis marchas tem trocas bem suaves. Enfim, o conjunto do modelo avaliado agradou.

Se você pensa em comprar um carro zero quilômetro e gostou do C4 Cactus, há sete versões – Feel Business automática (PCD), Live mecânica, Feel mecânica, Feel automática, Feel Pack automática, Shine THP automática e Shine THP Pack automática — com valores entre R$ 70 mil e R$ 100 mil. Todas as versões contam com motor 1.6 flex.

A versão avaliada por MotorCar conta com motor 1.6 THP (Turbo High Pressure) que desenvolve potência máxima de 173 cavalos com etanol e 166 cv com gasolina e 24,5 mkgf de torque máximo com ambos os combustíveis. Esse propulsor tem injeção direta, comando de válvulas de ignição variável e corrente de comando. Com todo esse conjunto e o câmbio automático de seis velocidades, o C4 Cactus anda bem.

Aliás, o desempenho é um ponto positivo forte para o C4 Cactus, principalmente nas ultrapassagens e subidas de serra, as quais enfrentamos todos os dias entre a cidade de Mairiporã e São Paulo. São curvas e curvas na Estrada da Roseira, e no pé da serra as subidas são bem íngremes. É ali que em todas as avaliações podemos conferir a força de todos os motores.

O propulsor é bem elástico e proporciona respostas rápidas em todas as faixas de rotação. As trocas das marchas são suaves, mas faltam as borboletas atrás do volante para uma tocada mais divertida. As trocas sequenciais podem ser feitas em botões na alavanca de câmbio.

O conforto é garantido pela suspensão – McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira – e bem macia quando o carro passa por desníveis nas ruas e lombadas. Esse SUV super compacto tem uma boa altura em relação ao solo – 22,5 cm, podendo enfrentar valetas e entradas e saídas com rampas sem raspas no asfalto.

A versão de entrada do C4 Cactus, a Live com motor 1.6 de 122 cv e câmbio mecânico (R$ 69.990) sai de fábrica com multimídia touchscreen de 7 polegadas, luz em LED, lanternas traseiras com efeito 3D, Isofix, indicador de troca de marcha, Citroën Connect Radio, conectividade com Android Auto e Car Play, comandos no volante, painel de instrumentos 100% digital, rodas de aço 16 polegadas, vidros elétricos dianteiros e traseiros, duplo airbag frontal e barras de teto longitudinais e integradas ao teto.

Já a versão avaliada por MotorCar, a Shine 1.6 THP de 173 cv, tem a mais câmera de ré, faróis de neblina, alarme, regulador e limitador de velocidade, câmbio automático sequencial de 6 velocidades, controle de estabilidade, assistente de partida em rampa, sensor de pressão de pneus, volante revestido em couro, sensor de chuva, bancos em couro e rodas de 17 polegadas. Esta versão custa R$ 95.990.

Mas esses valores ainda podem subir dependendo da cor escolhida e dos pacotes opcionais. Caso escolha a mesma cor do modelo avaliado por MotorCar, ou seja azul Esmeralda com o teto brando Banquise, pode aumentar em sua conta R$ 2.400. Há, ainda, três pacotes: Pack Tech com sensor de estacionamento traseiro e tilt down por R$ 835; Pack Plus com frisos externos na porta, tapete personalizado Citroën e protetor do carter por R$ 904,27.

O Pack Voyage custa R$ 2982 e engloba barras transversais no teto, engate removível e porta bicicleta em aço. O modelo é bonito, anda bem, oferece conforto, bons itens de série e os preços estão nos patamares dos concorrentes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Silvio Porto

Silvio Porto é um jornalista que estreou na extinta Revista Afinal como repórter fotográfico, passou pelas Revistas Placar e Quatro Rodas onde conquistou prêmios importantes. Viajou pelo mundo cobrindo futebol, os principais salões do automóvel (Paris, Frankfurt, Detroit e São Paulo), além de Fórmula 1 e os lançamentos de carros e motos. Fez parte do quadro de jurados do Prêmio “Carro do Ano”, da Revista Auto Esporte e há oito anos é um dos jurados do Prêmio Imprensa Automotiva realizado pela Abiauto – Associação Brasileira da Imprensa Automotiva. Hoje é diretor e editor do Portal MotorCar (www.motorcar.com.br) e do Blog do Silvio Porto (www.silvioporto.com.br).