Home » Blogs » F1: Choro de perdedor Vettel reclama do safety car virtual. Veja como funciona.

F1: Choro de perdedor Vettel reclama do safety car virtual. Veja como funciona.

Depois de uma corrida apagada e ainda ter errado no segundo pit para troca de pneus, o que lhe rendeu um prejuízo de duas posições no final da corrida, e 17 pontos a menos que o líder Hamilton, que cravou na Espanha a segunda vitória consecutiva na temporada, Sebastian Vettel reclamou do safety car virtual.

Durante o safety car virtual no GP da Espanha, o piloto d Ferrari tentou uma manobra diferente entrando no pit para a segunda troca de pneus. Mas o que ele não contava é que como os pneus estavam muito frios, com uma manobra errada acabou perdendo duas posições, uma para a Mercedes do finlandês Vallteri Bottas e outra para a RBR do holandês Max Verstappen. Com isso, Vettel caiu para a quarta posição no final da corrida, e terminou fora do pódio espanhol.

Com o resultado Sebastian Vettel mirou sua “metralhadora giratória” para o sistema de segurança “safety car virtual”. Reclamou do sistema, alegando que ele abre espaço para que os pilotos abusem. O piloto alemão admitiu que cometeu um erro ao parar seu carro no pit com pneus frios, o que contribuiu com a perda de posição. Mas ainda assim criticou o sistema virtual porque sente que o software possui uma fraqueza que permite que os pilotos andem mais rápido do que deveriam.

“Acho que deveríamos ter um sistema que não possua essa brecha, porque isso nos força a usar trajetórias ridículas pela pista, e todos estão fazendo assim, então não acho que seja segredo”, comentou Vettel.

“Eu não sei do que ele está falando, honestamente”, disse Charlie Whiting, diretor de provas da FIA. “O safety car virtual tem um mapa na centralina eletrônica que é 30% mais lento do que em uma volta rápida. Os pilotos precisam seguir essa volta.”

“Isso é medido a cada 50 metros ao longo da pista. Ele mede onde é relevante para a volta de referência e te dá sinal de ‘mais’ ou ‘menos’”, continuou. E  Charles ainda foi didático: “A cada 50 metros eles são avisados se estão acima ou abaixo. Eles podem andar abaixo [do tempo de referência], mas, contanto que eles estejam positivos a cada setor de fiscais e na linha 1 do safety car [não há problemas].”

“Mesmo se alguém vá lento, contanto que eles cheguem a zero naquele momento, não importa. Se é medido a cada 50 metros, então qualquer vantagem que você possa ter por assumir uma linha diferente na pista será absolutamente mínima”… “Eu meio que consigo entender o que ele está dizendo, mas a linha de corridas é a melhor”, completou Charlie Whiting.

Que o quatro vezes campeão Sebastian Vettel é um menino mimado, todos sabemos. Ele reclamou do safety car virtual por ter perdido posições na corrida, mas o erro foi dele mesmo! O que o Vettel esquece de dizer é que na Austrália ele ganhou aquela corrida que abria a temporada deste ano, utilizando a mesma manobra de se aproveitar do safety car virtual para entrar no pit e trocar os pneus. Cromo lá na Austrália deu certo e ele venceu a corrida e seu principal concorrente na disputa pelo quinto título, Lewis Hamilton, não reclamou.

Como em 2018 fazem cinco anos que o Vettel não comemora um título mundial, mesmo correndo por uma poderosa Ferrari, esse choro de perdedor –  copiando o compatriota Michael Schumacher – parece ser um recado para a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) — “preciso de ajuda, quero vencer o quinto título da carreira”. Coisas de piloto alemão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Silvio Porto

Silvio Porto é um jornalista que estreou na extinta Revista Afinal como repórter fotográfico, passou pelas Revistas Placar e Quatro Rodas onde conquistou prêmios importantes. Viajou pelo mundo cobrindo futebol, os principais salões do automóvel (Paris, Frankfurt, Detroit e São Paulo), além de Fórmula 1 e os lançamentos de carros e motos. Fez parte do quadro de jurados do Prêmio “Carro do Ano”, da Revista Auto Esporte e há oito anos é um dos jurados do Prêmio Imprensa Automotiva realizado pela Abiauto – Associação Brasileira da Imprensa Automotiva. Hoje é diretor e editor do Portal MotorCar (www.motorcar.com.br) e do Blog do Silvio Porto (www.silvioporto.com.br).