Home » Destaque » Avaliação: Honda XRE 300 vai bem no asfalto e na terra.

Avaliação: Honda XRE 300 vai bem no asfalto e na terra.

Texto e Fotos: Silvio Porto

Esta semana recebemos para avaliação no Portal MotorCar a Honda XRE 300, uma trail de 300 cilindradas, vendida há dez anos no mercado brasileiro. De acordo com a fabricante foram comercializadas no país 275 mil unidades desde o seu lançamento. E pilotamos o modelo 2019 que chegou com novidades no visual, mais leve e com novos itens de série como o ABS de dois canais independentes. O preço sugerido é de R$ 18.200 (ref. fevereiro/2019, base São Paulo e frete não incluso).

Honda XRE 300

A XRE 300 é a mesma de 2018 porém com algumas melhorias. No design, por exemplo, ganhou linhas mais angulosas e ficou mais moderna. Mas continua bem bonita, bem encorpada, e chamando a atenção quando a estacionamos. As pessoas vêm olhar, perguntam sobre o modelo e até se ela continua trincando. De acordo com a Honda o problema do cabeçote trincado foi sanado em 2016. Ou seja, o cabeçote não trinca e nem vaza mais óleo.

Honda XRE 300

O motor é o mesmo da versão anterior, 1 cilindro, 291,6 cm³ DOHC, bicombustível, que gera 25,6 cavalos de potência máxima a 7.500 rpm e 2,8 mkgf de torque máximo a 6.000 rpm. O câmbio é de 5 marchas. Quadros, rodas e suspensão também são os mesmos, oferecendo bom desempenho tanto no asfalto quanto na terra. Ela é 70% asfalto e 30% off-road, tem boa altura em relação ao solo, 41 mm de bengala e suspensão traseira pro-link, sendo mais sensível quando se passa nas famosas costelas.

Honda XRE 300

Na parte eletrônica ganhou novo ABS. Por conta da nova legislação de 2019 que obriga que ABS não seja item opcional, a XRE 300 perdeu o ABS combinado e ganhou o ABS de dois canais independentes. Não há a opção de desligá-lo quando se percorre o fora de estrada, mas ele funciona muito bem na terra. Com o novo ABS a XRE 300 perdeu 5 kg em seu peso. Agora 148 kg a seco.

O painel é totalmente digital com boa visibilidade tanto de dia quanto de noite. Há velocímetro, hodômetro parcial e total, marcador de nível de combustível, conta-giros, relógio e luzes-espia. A edição 2019 ganhou iluminação em LED para farol, lanterna e piscas. Falando em farol, o da XRE 300 é grande (seguindo a linha da CB 500) e iluminam muito bem a estrada e ruas percorridas à noite, oferecendo bastante segurança.

Mas vamos ao visual que ficou mais moderno. Os para-lamas em resina foram redesenhadas para que a sujeira ou mesmo o barro não atinja o piloto. As linhas estão mais angulosas e chamam a atenção onde para. Muitos observam, também, que a empunhadura para o garupa aumentou de tamanho, facilitando a pega. A tampa articulada ao tanque de combustível dá um ar mais premium ao modelo.

Para a XRE 300 há duas opções de cores: prateada e azul perolizada. Mas ela conta com mais duas versões: Rally (vermelha) e Enduro (verde bem escuro), ambas com preço sugerido de R$ 18.690 (ref. fevereiro de 2019, base São Paulo e sem frete incluso). A garantia é de 3 anos. Conclusão: Uma moto boa de pilotar, com excelente ciclística, com o centro de gravidade bem distribuído, confortável e que oferece bom desempenho, inclusive no off-road.

Ficha Técnica

Tipo: DOHC, monocilíndrico 4 tempos, arrefecido a ar

Cilindrada: 291,6 cc

Potência Máxima: 25,4 cv a 7.500 rpm (Gasolina) / 25,6 cv a 7.500 rpm (Etanol)

Torque Máximo: 2,76 kgf.m a 6.000 rpm (Gasolina) / 2,80 kgf.m a 6.000 rpm (Etanol)

Transmissão: 5 velocidades

Sistema de Partida: Elétrico

Diâmetro x Curso: 79,0 x 59,5 mm

Relação de Compressão: 9,0:1

Sistema Alimentação: Injeção Eletrônica PGM-FI

Combustível: Gasolina e/ou Etanol

Ignição: Eletrônica

Bateria: 12 V – 6 Ah

Farol: LED

Tanque de Combustível: 13,8 litros

Óleo do Motor: 2,0 litros

Comprimento x Largura x Altura: 2.195 x 838 x 1.215 mm

Distância entre eixos: 1.417 mm

Distância mínima do solo: 259 mm

Altura do assento: 860 mm

Peso Seco: 148 kg

Tipo: Berço Semi duplo

Suspensão Dianteira/Curso: Garfo telescópico / 245 mm

Suspensão Traseira/Curso: Pro-Link / 225 mm

Freio Dianteiro/Diâmetro: A disco / 256 mm

Freio Traseiro/Diâmetro: A disco / 220 mm

Pneu Dianteiro: 90/90 – 21

Pneu Traseiro: 120/80 – 18

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Silvio Porto

Silvio Porto é um jornalista que estreou na extinta Revista Afinal como repórter fotográfico, passou pelas Revistas Placar e Quatro Rodas onde conquistou prêmios importantes. Viajou pelo mundo cobrindo futebol, os principais salões do automóvel (Paris, Frankfurt, Detroit e São Paulo), além de Fórmula 1 e os lançamentos de carros e motos. Fez parte do quadro de jurados do Prêmio “Carro do Ano”, da Revista Auto Esporte e há oito anos é um dos jurados do Prêmio Imprensa Automotiva realizado pela Abiauto – Associação Brasileira da Imprensa Automotiva. Hoje é diretor e editor do Portal MotorCar (www.motorcar.com.br) e do Blog do Silvio Porto (www.silvioporto.com.br).